9-dicas-para-melhorar-a-velocidade-do-seu-site

9 dicas para melhorar a velocidade do seu site

Além de favorecer a experiência do usuário, a velocidade do site é um aspecto de extrema importância para SEO (Search Engine Optimization).

9-dicas-para-melhorar-a-velocidade-do-seu-site

Afinal, ao mesmo tempo em que a demora no carregamento de uma página é extremamente desagradável para o visitante — para não dizer desesperador —, o Google também não vê com bons olhos um site que tem tudo para ser abandonado antes mesmo de ser carregado.

Neste post você encontrará 9 dicas imbatíveis para melhorar a velocidade do seu site. Confira!

1.Utilize o Google PageSpeed Insights

O PageSpeed Insights é uma ferramenta do Google desenvolvida para medir o desempenho de uma página, tanto em computadores quanto em dispositivos móveis. Com esse objetivo, ela faz duas buscas da página, utilizando um user agent para dispositivo móvel e outro para computador.

Após fazer a busca, o PageSpeed utiliza um sistema de pontuação para medir o desempenho, que vai de 0 a 100 pontos. De acordo com os critérios da ferramenta, uma pontuação acima de 85 indica que a página está carregando com uma velocidade desejável.

É interessante observar que os critérios de avaliação do PageSpeed consideram apenas os aspectos de desempenho da página, e não os referentes à rede. Para tanto, ele observa a configuração do servidor, a estrutura HTML e a utilização de recursos externos, como JavaScript e CSS.

Após a análise, a ferramenta indica pontos que merecem atenção e cuja correção apresenta potencial para acelerar a velocidade de carregamento.

Além da pontuação, após a análise, o PageSpeed cria uma escala de prioridades que é sinalizada por cores: vermelho, amarelo e verde. Cada cor sinaliza uma necessidade, veja!

  • As ações sinalizadas em vermelho apresentam condições mensuráveis de melhoria da velocidade.
  • Ações sinalizadas em amarelo indicam condições de melhoria desejáveis, mas não precisam ser corrigidas se forem muito trabalhosas.
  • Caso as ações sejam sinalizadas em verde, o PageSpeed anuncia que nenhum problema foi detectado e que você fez um bom trabalho.

2. Utilize o Pingdom Tools

O Pingdom Tools é outra ferramenta importante de análise de velocidade. Contudo, ele age de modo diferente do PageSpeed Insights e parte das requisições de HTTP que um site faz para imagens, folhas de estilo, scripts e recursos externos.

Após a análise, a ferramenta gera um relatório mostrando o momento em que cada arquivo foi requisitado, o tempo de resposta do servidor, de carregamento pelo site e de finalização da requisição. Assim, é possível identificar onde o desempenho está crítico.

Por exemplo, scripts externos, como os do Facebook, podem pesar no carregamento de uma página, o que é detectado pelo Pingdom.

Curiosamente, o Pingdom também oferece uma análise sobre o tempo de carregamento do site em diferentes lugares do mundo, o que também tem a sua utilidade.

3. Recorra à CDN

Esse recurso curioso, que o Pingdom oferece, tem uma utilidade prática. Afinal, a velocidade do site é inversamente proporcional à distância do servidor onde ele está hospedado, tomando como referência o local onde ele é carregado. Quando mais distante o servidor, mais lento é o carregamento.

A solução para esse problema está na Content Delivery Network (CDN), que significa Rede de Distribuição de Conteúdo. A CDN tem como função distribuir conteúdos por servidores espalhados pelo mundo todo.

Com isso, no momento em que um site é acessado, o serviço se conecta ao servidor mais próximo onde ele já hospedou aquele conteúdo, acelerando a velocidade de carregamento da página.

Existem CDNs que fazem mais que isso. O CloudFare é um ótimo exemplo, além de ser gratuito, reduz o tamanho de arquivos e gera cache. Sabia que nós estamos oferecendo o CloudFlare gratuitamente?

4. Lembre-se: menos é mais

Quando os sites ainda eram uma novidade, todos os recursos eram utilizados, mesmo quando não eram necessários. Por exemplo, era comum encontrarmos uma galeria de imagens em páginas nas quais elas não faziam nenhum sentido.

As coisas mudaram, tanto em termos de design quanto de funcionalidade. Fazendo uma analogia, percebemos que os smartphones são limpos, sem aquele excesso de botões físicos de outros tempos. Essa é uma opção de design que tornou o uso dos equipamentos mais ágil e intuitivo. O mesmo raciocínio serve para os sites.

O melhor a fazer é recorrer somente ao essencial, preferindo um design que seja objetivo e recursos que realmente sejam necessários. Assim, além de o seu site se tornar mais agradável para o usuário, certamente ele carregará mais rápido.

5. Tenha cuidado com os botões sociais

Ninguém duvida que os botões sociais sejam importantes para o site. Porém, é preciso ter atenção para o fato deles também serem grandes responsáveis pela lentidão no carregamento das páginas.

A saída pode estar na utilização de um plugin como o Sharebar, do WordPress, que carrega rápido e reúne todos os botões sociais em um único módulo.

6. Aumente a velocidade do site com um cache plugin

E por falar em plugins, também fique atento para o uso indiscriminado deles, uma vez que o excesso desses recursos atrasa o carregamento da página. A solução para essa situação está no uso de um cache plugin, que armazena os plugins no cache, reduzindo a carga sobre o servidor, o que acelera o carregamento do site.

7. Preste atenção às imagens

Mais da metade do tráfego de um site está associado às imagens. Por isso, é indispensável ter atenção com esse recurso, que é fundamental, mas precisa ser otimizado.

Existem serviços, como o Smush.it, do Yahoo, que reduzem o tamanho sem comprometer a qualidade das imagens. Se preferir, você pode fazer isso manualmente.

8. Abandone os Gravatar

Há quem goste dos Globally Recognized Avatars, os Gravatars, que são os avatares de reconhecimento global que associam um ícone a uma pessoa, identificando-a globalmente na internet, como um logo pessoal. De fato, a ideia é interessante, uma vez que permite o rápido reconhecimento dos utilizadores de chats, fóruns e blogs.

Ocorre que cada avatar criado tem 80 por 80 pixels. Em termos de velocidade de carregamento, é fácil deduzir o que isso representa em uma página que precisa carregar 100 gravatares!

9. Instale apenas o que for necessário

O mesmo raciocínio é válido para os plugins que, como já vimos, são reconhecidos vilões que desaceleram os sites.

Então, fuja da tentação de instalar tudo o que vier pela frente e recorra somente àquilo que realmente for útil e favorável ao serviço do site e à experiência do usuário.

Deixe uma resposta